segunda-feira, 24 de junho de 2013

El galán argentino.

Olá pessoal, tudo bem??

Tive gratas surpresas, quando há 3 anos atrás, assisti a um filme argentino chamado "Nove Rainhas (título original: Nueve Reinas). A primeira surpresa era que eu já havia visto algo igual, só não me recordava o quê exatamente. Foi aí que pesquisando, verifiquei que a lembrança quase inexistente se tratava do filme norte-americano 171, lançado em 2004, que era um remake do Nove Rainhas que fora lançado em 2000. A segunda surpresa, era justamente pelo fato do filme ser latino-americano. Eu (que me envergonho absurdamente do que direi a seguir) não gostava do cinema latino, simplesmente por ter me frustrado com meia dúzia de filmes que não atingiram minhas expectativas. A terceira e melhor surpresa, foi conhecer um ator, ou melhor, um ator não, o ator, Ricardo Darín. Vocês entenderam minha fascinação e satisfação nas próximas linhas...
http://conexaobuenosaires.wordpress.com

O até então desconhecido ator Ricardo Darín (desconhecido para mim, pois ele já havia conquistado uma carreira de sucesso) me encantou com sua atuação rica, sagaz de um malandro que acaba caindo nas graças do público. Foi aí que notei o quanto injusta eu havia sido generalizando a falta de qualidade do cinema latino. O cinema latino-americano tem sua relevância e vem provando isso nos últimos anos.

À partir daí, tive outras gratas surpresas com a atuação deste magnifico ator. Citarei as mais relevantes em minha opinião e farei somente um breve resumo, senão o post ficará demasiadamente grande.

- Nove Rainhas: Como citei, foi o primeiro filme dele que assisti. O roteiro foi utilizado para a realização do filme 171, mas não foi tão bem interpretado, a versão americana é menos interessante que a argentina e os atores não convencem, com exceção da Maggie Gyllenhaal.

 - El Aura: Darín interpreta um taxidermista tímido que sofre de epilepsia, mas ele tem um sonho, realizar o crime perfeito. Este é o que menos me impressionou, não tem tensão suficiente para um suspense.



- O Filho da Noiva: Belíssimo filme que conta a história de um homem bom, mas amargurado com o rumo que tomou sua vida. Após sofrer um infarto, passa a rever suas escolhas, e tudo muda quando seu pai lhe pede ajuda para um plano inusitado. Concorreu ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2002, perdendo para O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, com Audrey Tautou.



- O Segredo dos Seus Olhos: Um crime bárbaro aflige um investigador por 25 anos, inspirando-o a escrever um livro. As lembranças sobre o caso lhe trazem a angústia de um amor que não poderia ser vivido. Filme emocionante, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2010. Traz um belíssimo take de um jogo entre o Racing e o Huracán. Há também o mistério que envolve uma palavra, TEMO...


- Um Conto Chinês: Comédia sobre um homem rabugento que tem uma loja de ferragens e coleciona notícias absurdas. Sua vida muda quando um chinês que não sabe falar uma só palavra em espanhol cai aos seus pés na rua. Ele sente-se na obrigação de ajudar o chinês a encontrar seu único parente vivo, que mora na Argentina.

 - XXY: Drama sobre uma família que muda com muita frequência para não expor seu filho Alex, que é hemafrodita. Um casal de amigos vai visitá-los e leva seu filho adolescente. A tensa relação entre o adolescente e Alex desencadeará em mudanças nas vidas de todos envolvidos. O tema é original e o roteiro idem, as atuações dos atores é mediana, com exceção de Darín, que salva o filme interpretando o pai de Alex.

Ricardo Darin já atuou em 4 filmes do diretor Juan José Campanella (também argentino), 2 citados acima (O Filho da Noiva e O Segredo dos Seus Olhos) e El Mismo Amor, La misma Lluvia e Luna de Avellaneda.

E vocês, já assistiram a algum outro filme do Ricardo Darín que tenha impressionado?

Beijos