sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Um Drink no Inferno.

Olá pessoal, tudo bom?

Lembro-me, de no auge da minha adolescência, ter assistido a um filme que ajudaria a definir meu gosto cinematográfico atual, este filme foi Um Drink no Inferno.
Um Drink no inferno, lançado em 1995 conta com a direção do americano Robert Rodriguez (Predadores, El Mariachi, A Balada do Pistoleiro, entre outros).

Este clássico do Cinema Trash traz em seu elenco o galã George Clooney (ER, Onze homens e um segredo, Doze homens e outro segredo, Treze homens e um novo segredo), Juliette Lewis (Gilbert Grape, Cabo do medo, Assassinos por natureza), Salma Hayek (Traffic, Frida, Studio 54) e o grande ícone do cinema cult, Harvey Keitel (Cães de Aluguel, O Piano, Pulp Fiction), e o ídolo do cinema Trash, Cult, B ator/diretor/roteirista Quentin Tarantino (Cães de aluguel, Pulp Fiction, Bastardos inglórios), que além de atuar neste filme, também o escreveu.

O filme conta a história de dois irmãos ladrões e assassinos, Seth Gecko (Clooney) e Richie Gecko (Tarantino). Após um assalto a banco, eles tentam ir para o México, então, no caminho, sequestram o ex-pastor Fuller (Keitel) e seu casal de filhos, pois uma família não despertaria suspeitas nos guardas da fronteira. Após entrarem no México, os irmãos Gecko vão se encontrar com Carlos, um bandido que facilita as coisas para fugitivos americanos mediante uma comissão. O lugar marcado para se encontrarem? Um bar chamado Titty Twister. O lugar ferve com suas dançarinas exóticas dançando nas mesas e uma banda mexicana com seu som lascivo e riffs de guitarra potente. Seria o lugar perfeito para os loucos irmãos Gecko, porém, algo inimaginável acontece no bar...

À partir disso, nos divertimos com o derramamento de sangue absurdo e  efeitos especiais mesquinhos. Mas acreditem em mim, isso torna o filme mais interessante. Além de deixar o filme com um Q de comédia deixa claro a intenção de manter o estilo adotado tanto pelo roteirista quanto pelo diretor.

A impetuosidade dos irmãos Gecko os tornam vilões extremamente carismáticos. Apesar de Richie ser um homem nocivo, pervertido e imbecil, nos simpatizamos com ele quase que imediatamente. Isso é um fator comum em alguns dos roteiros de Tarantino. Nos afeiçoamos ao Coronel Landa, ao Mickey e Mallory Knox, Calvin Candie, Marcellus Wallace, e isso se dá ao fato de que nem os mocinhos dos filmes de Tarantino são pessoas inofensivas. Em seus filmes, os bonzinhos também matam, sentem ódio e se vingam.

Um Drink no Inferno também é o início da parceria Robert Rodriguez/Danny Trejo, que viria a render Machete, Machete Kills (que será lançado em Set/13), A Balada do Pistoleiro , Era Uma Vez no México, Planeta Terror, entre outros.

Um Drink no Inferno diverte sem se dar ao trabalho de ser pretensioso. Super indicado para os amantes de filmes trash/B e afins.

Espero que tenham gostado!!

Beijos!